Althaea officinalis (Alteia), como usar

Nestas plantas jovens, as partes mais finas, cortadas apos pedaços, podem ser adicionadas a saladas.
As raízes da planta, sob a forma de chá, aliviam ataques de tosse e rouquidão, assim como digestões difíceis e gases intestinais. Este chá, é ainda um excelente calmante natural e quando utilizado em gargarejos, resolve inflamação de gargante provocada pelo fumo de tabaco e abcessos da boca. Na cosmética, é usada como máscara para amaciar a pele.
As suas flores são bastante decorativas e numa jarra em lugar fresco, aguentam~se frescas durante bastante tempo.

Anethum graveolens (Endro), origem botânica

Esta erva aromática vem sendo usada desde tempos remotos, como remédio caseiro, pelos Egípcios e Romanos. Pensa-se que seja oriunda da Ásia e que foi trazida para a Europa na Idade Média pelos Mongois e a partir daí se espalhou um pouco por todo o mundo.
É uma planta, muitas vezes confundida com o funcho, porque o seu aroma e aspecto são mesmo muito semelhantes. Pode atingir em fase adulta 1 m de altura e dos seus caules saem folhas pinuladas. As suas flores são amarelas de formato pequeno e formam umbelas grandes de onde saem as suas sementes. A planta é ainda rica em óleos essenciais.

Althaea officinalis (Alteia), origem botânica

A verdadeira alteia é oriunda da Europa Central, mas acabou espalhada um pouco por todo o lado. No início da sua sobrevivência era encontrada somente em locais húmidos e abafados, mas hoje em dia é plantada em qualquer tipo de solo. Os seus benefícios são conhecidos desde o tempo de Carlos Magno e as suas raízes são ainda hoje muito usadas para o fabrico de xaropes para a tosse.
A planta pode atingir os 2 m de altura e os seus caules são divididos. As folhas são grandes e têm a forma de um coração. As suas raízes são longas e podem chegar aos 50 cm de comprimento. As flores podem ser brancas ou violeta.

Althaea officinalis (Alteia), como plantar

A alteia para se desenvolver convenientemente, necessita de solo com bastante profundidade, em local solarengo e húmido. Necessita de nutrientes com alguma regularidade.
As plantas já mais antigas, podem ser divididas, porque desenvolvem com relativa facilidade. Quando opta por comprar plantas jovens, faço sempre na Primavera.
Para que a alteia cresça saudável, é importante que a regue frequentemente, especialmente nos meses mais quentes. De salientar que a planta deverá ser podada no final do Outono.
As raízes devem ser retiradas durante o Outono também para efeitos medicinais.

Milefólio, como plantar

O milefólio é um arbusto que não necessita de grandes cuidados, devendo somente escolher uma terra seca, enriquecida com alguns nutrientes, em canteiros onde o sol incida directamente , ou parcialmente à sombra. Não se desenvolve em terra muito molhada.
Deve ser cultivado na Primavera directamente na terra ou semeado no interior. É de extrema importância saber que nunca se devem mover os arbustos de um lado para o outro enquanto estiverem a florir.
O nome milefólio, significa mil folhas  e tem origem nas suas folhas delicadamente divididas.

Manjerona, uso culinário

A Manjerona, como quase todas as plantas ou ervas aromáticas, que se utilizam nas diversas gastronomias dos países da bacia de Mar Mediterrâneo, pode ser e é utilizada para os mais diversos pratos, depende mais do quanto se gosta do seu aroma, de que da ‘rigidez’ de qualquer receita, ela é usada tanto para saladas, massas, molhos, recheio de pastéis, recheios de frango, embutidos, carnes no geral, omeletes, tomates, pepinos, feijões e pizzas, batatas cozidas e iogurte, peito de frango, sopas, sorvetes e até para aromatizar balas (rebuçados).
 
[relacionados tag=”manjerona”]

Verbena, uso culinário

A Verbena, não é uma planta que seja usada com muita regularidade na culinária, mas existe em algumas regiões o seu uso, tanto para aromatizar cafés e chás com ervas amargas, como também para preparar um licor chamado pelo mesmo nome que a planta, ou seja Licor de Verbena. Fora isso não são conhecidos outros usos, mas, no entanto, não sendo um uso propriamente culinário, há quem goste de tomar um chá de Verbena depois das refeições, pois vai ajudar na digestão e há quem o use para combater a celulite.

Verbena, como plantar

A Verbena, é uma planta de clima tropical e subtropical. Gosta de muita exposição solar e as suas necessidades de água são moderadas. O tipo de solo que prefere é o solo de textura argilo-arenosa, rico em nutrientes e matéria orgânica, úmido e próximo ao neutro, com pH entre 6,0-7,0. A sua propagação se faz, no início da primavera,  por sementes , estaquia de ramos novos e divisão de raízes.  Os espaçamento devem ser de cerca de quarenta centímetros entre plantas e de sessenta a oitenta nas entre linhas.

Bardana, contra indicações e efeitos secundários

A Bardana, apesar de todas as suas enormes qualidades terapêuticas, tem, como em muitos casos, alguns cuidados que devemos observar, e pode haver algumas pessoas que tenham um certo nível de alergia aos agentes da planta e nesse caso ela pode causar irritação na pele, mas os casos não são de todo comuns, para além disso tem outros efeitos secundários ou colaterais e pode causar convulsões, parada respiratória e irritação nos olhos, mas não tenho informação de qual a freqüência com que podem acontecer.
É contra indicado em crianças e pessoas com diarréia ou feridas abertas.

Manjerona, como plantar

A Manjerona, e uma planta que se adapta, desde os climas temperados amenos até aos climas tropicais, gosta de muita exposição solar e gosta de água com moderação. Prefere solos com textura areno-argilosa, ricos em nutrientes e matéria orgânica e muito próximos do neutro, com pH 6,7-7,0. A sua propagação tanto pode ser feita por sementes, divisão das touceiras e por estacas de ramos jovens. Quanto aos espaçamentos, eles devem rondar os trinta centímetros entre plantas e cerca de sessenta centímetros nas entre linhas.