Macieira, “novas fronteiras”

Por serem reproduzidas por enxertia, para manter as características do fruto, são cada vez mais vulneráveis a pragas e alvo da necessidade de utilização cada vez maior de pesticidas, algo que não é bom nem do ponto de vista ecológico nem do ponto de vista económico. Por estes facto, cientista têm feito recolhas de sementes silvestres na sua origem, Cazaquistão,  quer para tentarem encontrar novas espécies comercialmente viáveis e mais resistentes a doenças, quer para inserirem alterações genéticas nas variedades existentes que lhes aumente a resistência às doenças sem alterar as características do fruto. Por isso dizemos que a Macieira está a atingir “novas fronteiras”.

 

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *