Rábano picante, como usar

Na culinária, o rábano picante usa-se com frequência para adicionar à carne de vaca ou salmão fumado, pois o travo forte dá um sabor especial a este tipo de carne. As suas raízes também se utilizam com frequência para preparar conservas com vinagre.
As raízes, em chá ajudam a digestão, mas quando usadas em maior quantidade, podem causar irritações no estômago, intestinos e rins.
As mulheres grávidas e no período de aleitação devem evitar o consumo desta planta.
Compressas de chá de rábano, ajudam a aliviar doenças de reumatismo e artrite.
Como é uma planta que desenvolve com imensa facilidade, deve ser evitada em jardins, porque é difícil de eliminá-la.

Rábano picante, como plantar

Esta planta desenvolve-se com relativa facilidade e multiplica-se através das raízes principais. Os seus rebentos, que brotam depois do verão no ano seguinte, chegam a atingir 1,5 m de comprimento e as suas flores em cachos são bastante aromáticas.
A planta, que também pode ser chamadade amorácia, cresce bem em solo profundo, fértil em nutrientes e com humidade suficiente para que a planta produza raízes fortes. Necessita de um intervalo de plantação bastante longo para desenvolver à vontade (cerca de 40 a 50 cm) e não deve ser movida do lugar onde inicialmente foi plantada.

Rábano picante, origem botânica

Esta planta pertence á família da mostarda e teve origem na Ásia Ocidental. Daí se estendeu até à Europa Central e do Norte. No século XII foi uma planta muito usada para tratar vermes intestinais.
Esta planta cresce até 1 m de altura no primeiro ano e no ano seguinte produz rebentos que podem atingir 1,5 m de altura. Produz flores aromáticas em cachos soltos e as suas raízes são grossas e carnudas. São também ricas em vitamina C e óleos essenciais. O rábano picante, conhecido como mostarda do povo, contém ainda enxofre que lhe dá um travo especial.