Papoula ou Paloila, o láudano

Papoula ou Paloila, é uma das plantas de base para a produção do que hoje conhecemos por ‘láudano’. Foi o médico inglês Thomas Sydenham, no século XVI (16), elaborou um elixir que era empregado com sucesso nos casos de disenterias e vômitos, o ‘láudano’. Na sua produção estavam incluídos diversos ingredientes, um era o ópio (extraido da papoula ou papoila), mas também por açafrão, canela e cravo-da-índia, macerados em vinho espanhol. Era comum nesses tempos usar vinho ou aguardentes no preparo de medicamentos.

Papoula ou Papoila, poderoso analgésico

A Papoula ou Papoila, produz na sua resina, um poderoso analgésico, muito comum e que é chamado de ‘Morfina’, extraido do ópio por processos de síntese, foi usado durante séculos, nos dias de hoje, no entanto, a sua utilização é cada vez mais reduzida e só utilizada em casos extremos, como por exemplo, em doentes terminais com câncer (cancro), pois sendo um poderoso analgésico e sedativo, é também altamente viciante e tem sido ‘banida’ de uma forma geral, do uso regular, pois o risco de que os pacientes tratados com morfina se tornarem tóxico dependentes é muito elevado, dai o seu uso estar reduzido aos doentes terminais.
 
 

Papoula ou Papiola, no Brasil

A Papoula ou Papoila, no Brasil foi introduzida inicialmente como planta ornamental, mas como planta silvestre que é rapidamente reclamou o seu lugar entre os prados, que tão belos se tornam com a sua presença, mas que, para os agricultores quer no Brasil quer no resto do mundo, ela é muitas vezes considerada uma planta daninha, infestando os pastos, as plantações de cereais e intoxicando os animais.
É preciso não esquecer que é da Papoula (Papoila), mais propriamente a resina das suas cápsula, que é utilizada para a fabricação do ópio e também da heroína, drogas fortemente viciantes e proibidas praticamente em todo o mundo.

Papoula ou Papoila, curiosidades

A Papoula ou Papoila, estão inseridas na lendas e tradições do povo desde à milénios e são vários os casos ao longo da história em que isso acontece. Em um texto egípcio, datado do século 8º AC., a Papoula era dada às crianças para impedi-las de gritar. Na Grécia Antiga, a papoula era já usada como sedativo potente, mas também figurava na mitologia. Dentro da tradição judaica, as sementes de papoula entram na elaboração do recheio de pequenos pãezinhos triangulares chamados “oznei Haman” (orelhas de Haman), que são consumidos na festa de Purim, em homenagem à rainha persa Ester.

Papoula, contra indicações e efeitos secundários

A Papoula ou Papoila, no que a contra indicações e efeitos secundários ou colaterais, têm que ser divididos em duas partes.
Em primeiro, a resina da Papoula (Papoila) Branca e seus derivados (o ópio, a morfina e a heroína), são contra indicados em todas as utilizações, sem acompanhamento médico especializado e mesmo nessas situações com extremo cuidado, pois um dos efeitos secundários ou colaterais é que são altamente viciantes, narcóticos e soníferos, mas também podem induzir um efeito ‘inebriante’, em que quem os toma se julga ‘todo poderoso’, perdendo um dos mais princípios base da nossa sobrevivência que é o ‘medo’, que nos protege de pôr em risco a nossa vida.
Em segundo, as sementes, neste caso não faz diferença a variedade, pois os efeitos acima descritos não são passados para as sementes, pelo que, neste caso, não se pode sequer falar bem de uma contra indicação, mas antes um cuidado, pois para as pessoas que seguem uma dieta pobre em gordura, pelo alto teor de óleo contido nas sementes. Não sendo conhecidos quaisquer outras recomendações.

Papoula ou Papoila, uso culinário

A Papoula ou Papoila, mais especificamente, as suas sementes, são usadas principalmente na Índia, onde se costuma triturá-las, engrossando molhos e dando especial sabor ao caril. No Japão, são empregadas em preparos com verduras. Nos países europeus, as suas sementes são usadas para a fabricação de pães e tortas. Mas desde à séculos e até  aos dias de hoje, os gauleses (franceses) extraíam das sementes de papoula um óleo, a que chamam de ‘oeillette’, muito apreciado pelas suas propriedades e seu gosto delicado, semelhante ao das avelãs.

Papoula, problemas do trato digestivo

Papoula ou Paloila, é utilizada para tratar vários problemas do trato digestivo. E pode estar descansado pois, as sementes maduras da papoula (papoila) não têm nenhum poder narcótico, mas inibem o peristaltismo dos intestinos e a secreção do tubo digestivo. A papaverina relaxa a musculatura lisa, reduzindo espasmos no trato digestivo. Quando usadas apenas as sementes maduras, não representam qualquer risco de adição, pois as drogas como o ópio, a morfina e a heroína, são extraídos da sua resina e não são passadas para as sementes.

Papoula ou Papoila, a planta

A Papoula ou Papoila,  tem as suas origens na Ásia, mais especificamente no Médio Oriente, é uma das plantas sagradas incluídas na Bíblia entre “as flores que crescem nos campos”, juntamente com os crisântemos e as tulipas. Provavelmente, seu cultivo se iniciou nas planícies mesopotâmicas, atual Iraque, onde era sempre associada a símbolos de felicidade. De acordo com a história antiga, o cultivo da papoula aparece citado em uma tábua descoberta na cidade Suméria de Nippur, datando de 1300 AC. No Egito, de acordo com o “Papiro Ebers”, era já usada como medicamento.