Bardana, contra indicações e efeitos secundários

A Bardana, apesar de todas as suas enormes qualidades terapêuticas, tem, como em muitos casos, alguns cuidados que devemos observar, e pode haver algumas pessoas que tenham um certo nível de alergia aos agentes da planta e nesse caso ela pode causar irritação na pele, mas os casos não são de todo comuns, para além disso tem outros efeitos secundários ou colaterais e pode causar convulsões, parada respiratória e irritação nos olhos, mas não tenho informação de qual a freqüência com que podem acontecer.
É contra indicado em crianças e pessoas com diarréia ou feridas abertas.

Bardana, prevenir o câncer

A Bardana, mais recentemente foi comprovado outro seu poder e este muito mais importante do que qualquer outro, pois ela tem o poder de prevenir o câncer, pois é anti neoplásica, ou seja, não permite a desenvolvimento das células neoplásicas, que são as células responsáveis pelo aparecimento de tumores e de câncer (cancro).
Mas é uma planta usada desde à muito em várias regiões e culturas para tratar inúmeros problemas a nível da pele, mas também para uso interno, é utilizada para tratar desde afecções da área genital, gota, diabetes, furúnculos, escorbuto, psoríase, reumatismo, cálculos urinários e cólicas biliares.

Bardana, como plantar

A Bardana, é uma planta de climas temperados e ou sub tropicais e prefere temperaturas médias anuais entre os 16 e os 22ºC. Gosta de muita exposição solar e de água com moderação. O tipo de solo que mais gosta é o de textura arenosa, profundo, rico em nutrientes, com boa drenagem e tem uma boa amplitude de aceitação quanto aos níveis de pH e tolera solos ácidos e alcalinos, com uma variação de pH desde o 5,0 até ao 8,5. A sua propagação faz-se por semente e os espaçamentos devem rondar os trinta cm entre plantas e os 50 cm nas entre linhas.

Bardana, descrição botânica

A Bardana, é uma planta de porte herbáceo, de ciclo bianual e que pode atingir desde os cinqüenta centímetros até aos dois metros de altura. O seu caule é robusto e estriado. As suas folhas são grandes, de cor verde e textura lisa na parte superior do limbo e cinzenta e aveludada na parte inferior. As suas flores têm uma cor violácea ou azulada e são agrupadas em inflorescências do tipo cacho. Os frutos são globulares, do tipo aquênio e contêm falsos espinhos na superfície.
 
[relacionados tag=”Bardana”]

Bardana, uso culinário

A bardana é consumida cozida, o seu consumo é pouco comum na Europa, mas é um legume popular no Japão conhecido com o nome Gobo e reconhecida por ter propriedades medicinais como por exemplo, eliminar o ácido úrico.
Para consumo, é mais utilizado as raizes, pode adiciona-las numa sopa de legumes cortada aos bocados ou cozer como coze as batatas.
Este legume pode ser inclusivé adicionado como ingrediente num salteado de legumes ou até mesmo consumido cru em salada.
As flores e as folhas podem ser consumidas cozidas como o espinafre, salteadas, ou em salada como as raízes delas.
As folhas e as raízes da bardana são utilizadas para fazer infusões por ser um excelente depurativo e diurético.

Bardana, uso na beleza

A Bardana, planta medicinal comestible e utilizado como legumes, a bardana é conhecida e reconhecida para tratamentos ao nível de problemas de pele por ter propriedades anti-bacterianas, anti-septico e anti-fungico., anti inflamatoria, anti microbiana, anti seborréica, anti séptica, anti caspa, cicatrizante, colagoga, depurativa, diurética, emoliente, etc…Usado e utilizado tanto ao nivel interno como ao nivel externo.
Fazem com que seja muito útil também em tratamentos de beleza para curar abscessos, eczema, acne, restauração do tônus da pele, caspa, coceira e dor por picada de insetos, dermatites seborréicas, queda de cabelo e micoses nas unhas.
 
[relacionados tag=”Bardana”]

Bardana, a planta

A Bardana, é uma planta que tem a sua origem na Ásia, mais propriamente no Japão. O seu nome científico “Arctium lappa L. – Asteraceae (Compositae)”, em que “arctium”, é derivado do grego “arktos”, ou “urso”, em alusão à rusticidade e aspereza de seus frutos e a palavra “lappa”, que significa “agarrar” ou ainda pode derivar da palavra céltica “llap” que significa “mão”. É uma planta com uma enorme versatilidade e que pode ser usada tanto na alimentação, como na cosmética e na medicina.
É conhecida também por outros nomes populares, tais como, bardana maior, erva dos tinhosos, lapa, orelha de gigante e pegamassa.
[relacionados tag=”bardana”]