Abrótano, como usar

O abrótano pode ser usada na culinária, em molhos para juntar a carne ou saladas. Deve ser usado com moderação, porque tem um sabor bastante forte. Esta erva tem ainda benefícios para o estômago, aliviando problemas de digestão. O chá de abrótano é também muito eficaz para tratar problemas menstruais, essencialmente para estimular o período menstrual, devendo portanto ser evitado pelas grávidas.
A planta é também rica em óleos essenciais, que são usados no fabrico de alguns perfumes. Os rebentos da planta são muito bonitos e fazem um excelente trabalho decorativo.
 

Abrótano, origem botânica

O abrótano chegou à Europa, vinda da Ásia Ocidental, pelas mãos dos monges há cerca de 1000 anos. Foi entretanto plantada em mosteiros e jardins de palacetes durante vários séculos. Acreditava-se na época que a planta era mágica e protegia as pessoas de certos males e pragas, além de que também era um estimulante para o crescimento dos cabelos.
A planta produz folhas finas, libertando um aroma agradável a limão e cresce entre os 63 cm e os 100 cm. É uma planta rica em óleos essenciais, alcalóides e taninos. A planta é bastante tóxica pelo que deve ser usada com cuidado.
 
 

Abrótano, como plantar

O habitat indicado para esta planta, é um local com muito sol, mas temperaturas médias. O solo para a planta deverá ser arenoso, calcário e com escoamento suficiente.
O desenvolvolvimento da planta é feito através dos rizomas e deve plantá-la de preferência na Primavera. O abrótano pertence à família do absinto (Artemisia absinthium) e existem algumas espécies que produzem folhas prateadas brilhantes e são cultivadas em jardins de arbustos. A planta tem alguma toxicidade, pelo que deve haver cuidado com o seu manuseamento, porque pode provocar alergias.