Aloysia triphylla (Lúcia lima), origem botânica

Esta planta compreende à volta de 35 espécies, mas uma das mais charmosas é a Lúcia-lima, também identificada na gíria por arbusto limão. O nome botânico mais antigo é Lippia triphylla.
É uma planta que tem origem no Uruguai, Argentina e Chile.
Quando plantada em vasos, a planta fica mais pequena, mas no exterior pode chegar com relativa facilidade até ao 5 m de altura. As folhas, quando cortadas e esfregadas na mão têm um cheiro forte a limão. As flores, de cor violeta, aparecem no Verão e são também muito aromáticas.

Aloysia triphylla (Lúcia-lima), como plantar

Para cultivar esta planta com êxito, é necessário que o ambiente não seja sombrio, arejado e sobretudo protegido das geadas. Uma temperatura nunca inferior a 25º é a ideal para que a planta desenvolva e cresça saudável. Se a planta estiver inserida num ambiente sombrio, perde rapidamente as folhas. No Inverno precisa de pouca água, porque por norma o ambiente é húmido, mas de Verão deve ser regada regularmente. Deve ainda ser fertilizado o solo, durante a Primavera, semanalmente até ao Verão.
De salientar que esta planta é muito sujeita a ganhar piolho, (afídeos), pelo que deve ter atenção para os irradicar rapidamente.
Quando colher as folhas, deve secá-las, pois conservam-se melhor assim. Depois deve guardá-las em local escuro, em frascos herméticos. O extracto da planta é identificado por Herba Verbanae Odoratea e encontra-se normalmente em farmácia.

Aloysia triphylla (Lúcia-lima), como usar

As folhas desta planta são muito usadas em Espanha e França para fazer chá . Os óleos essenciais da lúcia lima são também muito usados na perfumaria e no fabrico de cosméticos.
Na medicina alternativa o chá das folhas desta planta, são muito usados para aliviar dores de estômago e favorecem a digestão. As folhas, em banho de imersão libertam uma fragância que tem efeito calmante.
A planta, cultivada em vasos ou floreira, exala um aroma muito agradável e fresco a limão.